First Steps – Primeiros Passos

Green Light

The first version of Joana was made in 1998 when I wrote what was to be a small children’s book. Much has happened during these twelve years and the text was shelved alongside some drawings (which I will publish in the future on a post about the character designs). Every year, I took this material out and matured a little bit the idea, either showing for a friend, adding some design, or making some new notes. I was slowly transforming what was to be a book in an animation, however, was only with the structuring of the Detail Library that the story took shape.

Primeiro tratamento da história de Joana

Joana: original text

Last year, me and Dilly we were laying out strategies for the first year of the Library and in one of several conversations we had reached the conclusion that, besides the need of more scripts, it was important to think of an animation simpler and feasible than that were trying to produce (Gadanthara). This is where the screenplay for Joana really came up. The plot might be adequate to take place in San Corisco without interfering in any way the content of the story. When we realize that the fund raising and deadlines would initially be modest, I received a green light to get the team to adapt the story of Joana to the universe of the Library.

First question was definitely adapt the idea to the universe of animation, this needed to rethink the pages into take. Another aspect of adaptation was the scenario. In the original Joana lives in a more rural environment, sleeping in barns and walking the banks of a river. In transposing to San Corisco everything was adequate for an urban environment, and help to connect Joana with Gadanthara and Burians, the urban environment brought more strength to the story.

Outline and Thumbnails

Any sheet of paper is good for thumbnails. This had some accounts that do not remember what it is.

I have no script, that is, not the traditional format. When I write a

screenplay I’m already thinking of the storyboard, therefore I do a list of topics. Each topic is a description of a picture that I draw and that, consequently, will turn into an take. I do not care either for the quality of the text or to the readability of my writing (yes, I do it by hand) because just I read this. During this process I do some small drawings (thumbnails) to guide me in producing the storyboard.

According to the rate of production of these drawings, I can leave the threads halfway through and follow only with the thumbnails, and this actually happened to Joana. These drawings are also for my organization, I just show others when I have a storyboard readable. At this stage I do variations of guidelines and ordering of shots that can indicate with numbers and arrows, which may seem a bit chaotic, but it works when I go to the storyboard stage.

Miniaturas

Two variations of the same sequence.

Comparação

Comparison between the thumbnails and the storyboard

Roteiro

Screenplay from the animatic

Screenplay

Despite this process Joana has a well-formatted screenplay. For funding through public notices, whether the government or individuals, one of the required documents is a formatted screenplay. For this reason, even now possessing an animatic, we had to write a screenplay.

In this post I want to show how we change the text of a children’s book to the screenplay for an animation. Even though the screenplay has not been a essential step towards the development of history. In a future publication I intend to show more about how I designed and edited the soryboard and animatic.

—português—

Sinal Verde

A primeira versão de Joana foi feita em 1998, quando escrevi o que era para ser um pequeno livro infantil. Muita coisa aconteceu nestes doze anos e este texto ficou guardado, junto com alguns desenhos (que publicarei futuramente em um post sobre o design do personagem). Todo ano, pegava este material e amadurecia um pouco a idéia, seja mostrando para um amigo, acrescentando algum desenho, ou anotando algo novo e, dessa forma vagarosamente fui transformando o que era para ser um livro em uma animação, porém, foi só com a estruturação da Biblioteca de Pormenores que a história tomou corpo.

Primeiro tratamento da história de Joana

Joana: texto original

Ano passado eu e o Dilly estavamos traçando as estratégias para o primeiro ano da Biblioteca e em uma das várias conversas que tivemos chegamos a conclusão que, além de precisarmos de mais roteiros, era importante pensar em uma animação mais simples e viável do que a que estávamos tentando produzir (Gadanthara). Foi neste momento que o roteiro de Joana realmente veio à tona. O enredo poderia ser adequado para acontecer na cidade de San Corisco sem que isso interferisse em nada no conteúdo da história. Quando percebemos que a captação e os prazos seriam inicialmente mais modestos, recebi um sinal verde da equipe para começar a adaptar a história de Joana para o universo da Biblioteca.

A primeira questão era adaptar a idéia definitivamente para o universo de animação, para isso precisava repensar as páginas em tomadas. Outro aspecto da adaptação era o cenário. Na versão original Joana vive em um ambiente mais rural, dormindo em celeiros e caminhado às margens de um rio. Na transposição para San Corisco tudo foi adequado para um ambiente urbano, além de ajudar a conexão de Joana com Gadanthara e Burians, o ambiente urbano trouxe mais força para a história.

Tópicos e Miniaturas

Miniaturas e tópicos

Qualquer folha de papel é boa para miniaturas. Essa tinha umas contas que não lembro do que se trata.

Eu não faço roteiro, quer dizer, não no formato tradicional. Quando escrevo um roteiro eu já estou pensando no storyboard, então faço uma lista de tópicos. Cada tópico é uma descrição de um quadro que devo desenhar e que, consequentemente, vai virar uma tomada. Não preocupo nem qualidade do texto e nem com a legibilidade da minha escrita (sim, eu faço isso à mão), pois apenas eu vou ler este texto. Durante este processo de escrita já faço alguns pequenos desenhos (thumbnails ou miniaturas) para me orientar na produção do storyboard.

De acordo com o ritmo da produção destes desenhos, posso abandonar os tópicos no meio do processo e seguir só com os thumbnails, o que de fato aconteceu com Joana. Estes desenhos também são para minha organização, só mostro para outras pessoas quando tenho um storyboard legível. Nesta etapa marco variações de enquadramentos e ordenação das tomadas que posso indicar com números e setas, o que pode parecer um pouco caótico, mas funciona quando passo para a etapa de storyboard.

Miniaturas

Duas variações da mesma sequência.

Comparação

Comparação entre as miniaturas e o storyboard

Roteiro

Roteiro escrito a partir do animatic

Roteiro

Apesar deste processo Joana possui um Roteiro bem formatado. Para as captações através de editais, sejam do governo ou particulares, um dos documentos requeridos é um roteiro formatado. Por esta razão, mesmo já possuindo um animatic, tivemos que escrever um roteiro.

Neste post quero mostrar como fui de um texto para um livro infantil para o roteiro de uma animação. Mesmo que o roteiro não tenha sido uma etapa essencial para o desenvolvimento da história. Em uma publicação futura pretendo mostrar mais sobre como desenhei e editei o soryboard e o  animatic.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: